Mensagem do Presidente

Actualmente, a educação é uma área que ultrapassa em muito os paradigmas com que era analisada há anos, tornando-se uma área científica de importância primordial para a evolução comunitária e para o desenvolvimento social no seu todo.

Por isso, o leque de oferta formativa ao nível superior directamente ligado ou interligado a esta área é cada vez maior e mais importante, sem esquecer a interdisciplinaridade, tão marcante para que a investigação progrida com contributos paralelos e que, posteriormente, sem querermos entrar em contradição com o paralelismo, se cruzem para formar todos conclusivos de notável monta.

Temos, por isso, que encarar a educação como factor fundamental do progresso económico e social e não podemos olhar para a mesma sem um autêntico exercício de cidadania que implica todos os actores sociais, sem excepção.

Se olharmos para a educação como uma responsabilidade única da família ou dos pais, das escolas e das autarquias, estaremos a cometer um erro colossal que o futuro irá cobrar com juros elevados, tornando-nos uma sociedade limitada e limitadora em termos de competitividade territorial no âmbito de uma Europa que, infelizmente, se apresenta mais assimétrica.

O envolvimento das populações em termos globais torna-se um imperativo se realmente pretendemos alcançar o sucesso.

A educação não pode ficar definida entre barreiras; tem que as ultrapassar e, para além dos meios considerados habituais, urge que seja adquirida numa verdadeira construção de cidadãos e de cidadania, em que toda a gente esteja envolvida, pois as nossas crianças e jovens podem aprender em casa, na biblioteca, no museu, no arquivo, nos serviços ambientais, nos jardins, no artífice vizinho, no agricultor do outro lado do caminho, na escola, na internet, no cinema, no teatro, na romaria, na brincadeira…

Por isso, é de toda a oportunidade um Portal da Educação que conjugue todos os esforços e estabeleça meios de interacção entre os intervenientes e dê a conhecer à comunidade, para além de a motivar e integrar, o quanto se faz na educação em Ponte de Lima.

As escolas não podem nem devem ser ilhas, alheadas umas das outras. Muito menos, substitutos da família e da educação familiar.

O estabelecimento de pontes é obrigatório. Só o conhecimento das actividades curriculares por toda a população é que tornará mais fácil o empenhamento dos cidadãos na construção do futuro através da educação.

Queremos informar o que se faz, para além do considerado obrigatório, ao nível da alimentação e do nutricionismo, dos serviços educativos, das actividades de enriquecimento educativo, da educação física, das visitas de estudo, do teatro nas escolas e das escolas no teatro, das inúmeras acções educativas similares ao trabalho dos professores, educadores e pessoal não docente.

É essa a finalidade deste Portal da Educação e peço-vos que analisem, cada um de vós, qual o vosso papel, pois todos são fundamentais, para a educação em Ponte de Lima.

Victor Mendes

Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima